Ataque de Fofura

"A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo que seus animais são tratados." Mahatma Gandhi

Esclarecimentos aos seguidores!

Olá pessoal, segue em vídeo algusn exclarecimentos que devo a vocês! O vídeo não foi editado, então não reparem muito!! 😀
Beijos

Anúncios

O que é zooterapia?

A Zooterapia ou Terapia Assistida por Animais, teve origem em 1792, na Inglaterra, em uma instituição mental onde os pacientes tinham permissão para cuidar de animais da fazenda como reforço positivo. Em 1942, nos Estados Unidos, terapeutas sentiram o benefício do uso da zooterapia em pacientes com desordens físicas e mentais. A partir de 1955, Dr. Nilse da Silveira iniciou no Brasil o processo com cães e gatos para pacientes mentais, sendo considerada pioneira da A/TAA no Brasil. Nos anos 1980, relevantes pesquisas científicas emergiram, provando o benefício à saúde humana da interação com animais; essa rapidamente se espalhou no Reino Unido, EUA e Europa Continental. No Brasil, o interesse volta a surgir a partir dos anos 90, quando são implantados os primeiros centros de atendimento de terapia assistida por animais. Em setembro de 2000, acontece no Rio de Janeiro, a 9a Conferência Internacional sobre Interações Homem/Animal, despertando diferentes profissionais de saúde e afins, para atuação e pesquisas científicas nas atividades e terapias assistidas por animais. Os cães têm sido usados como facilitadores para profissionais das áreas de: Terapia ocupacional, Fisioterapia , Psicologia, Biologia , Veterinária, Fonoaudiologia, Pedagogia e Psiquiatria.
 
O QUE É AAA / TAA?
AAA- Atividade Assistida por Animais envolve o animal e o proprietário, atividades sociais, distração, recreação, integração para o bem estar e melhora dos pacientes.
TAA- Terapia Assistida por Animais incorpora interação homem x animal num processo terapêutico formal, com um processo de tratamento, guiado por profissionais; programação com objetivos claros e dirigidos, para se atingir os resultados, que sofrerão medição.
 
SOBRE OS BENEFÍCIOS DA ZOOTERAPIA OU DA AAA/TAA:
* Melhora o sistema imunológico.
* Estimula a interação social. Crianças vêem os cães como seus amigos especiais, membros importantes da família. Crianças com severos traumas, como abusos de infância que impedem a formação de vínculo com outras pessoas podem, através dos cães, conquistar confiança e formação de vínculos.
* Ajuda a lidar com o luto: trabalho com doença e morte de um cão.
* Facilita o processo de aprendizagem tais como leitura, memorização, concentração e socialização. Há programas em que as crianças lêem para os cães. A princípio essa idéia chegou a ser rejeitada por muitas pessoas, mas experiências comprovaram que as crianças não tinham grande preocupação em ler em voz alta para o cão, pois ele não poderia censurá-las e nem corrigi-las.
* Diminui o nível de estresse. Na interação homem-cão, há uma mudança química no organismo onde endorfinas são produzidas no sistema imunológico. Ao contrário da situação de estresse, onde há supressão dessas substâncias no organismo.
* Abaixa o nível de risco em doenças cardiovasculares.
* Facilita a autoconfiança, resgata a auto-estima e reduz a inibição.
* Melhora as capacidades motora, cognitiva e sensorial. Pode ser de grande ajuda na psicoterapia, pois os animais fazem a ponte com o terapeuta e este pode alcançar o paciente mais rapidamente.
* Nos autistas, proporciona melhora na capacidade de comunicação e na sensibilidade e interação.
* Crianças e adolescentes com ansiedade ficam mais calmos na presença dos animais.
* Facilita o processo de aprendizagem através da expressão de sentimentos e motivação.

Fonte:http://ongateac.blogspot.com.br/2008/10/afinal-o-que-taa-aaa.html

Um pouco mais sobre o Peixe Beta

Olá pessoal,

Hoje o assunto vai interessar a você que tem vontade de ter um bichinho e não ter muito trabalho! O peixe Beta é o popular peixinho de briga. É lindo e além de tudo pode servir de decoração pra sua casa também! 🙂

Bom, esse peixinho é originário da Tailândia, os machos são violentos e não podem conviver com outros peixes no mesmo aquário, podendo até matar o outro. Convive com a fêmea apenas na época de cópula. Bom o aquário não precisa ser grande e nem ter oxigenador de água (cascatinha), porque no seu habitat natural eles vivem em águas paradas e com pouco oxigenio.

A água dele deve ser trocada a cada 10 dias, para que não fique muito suja. Esse peixe é muito resistente e pode viver por vários anos. Há algusn cuidados que deve ser tomados:

• Procure deixar o aquário em um local com luz, sem raios de sol direto para evitar que a água fique muito quente;

• Evite deixar o seu peixe em locais com cheiros fortes como tinta, gordura ou em locais muito frios.

• Retire do aquário o excesso de alimento não ingerido. Lembre-se que este aquário não tem filtro.

• Não esqueça de trocar parte da água do seu Betário a cada 10 dias.

• Nunca coloque dois machos no mesmo aquário, pois eles brigarão e provavelmente os dois morrerão.

• Evite variações de temperatura. A temperatura do Betário deve ficar em 25º C. No inverno, uma lâmpada pode ajudar a manter esta temperatura.

 

Vídeo: Marília Dog Show

Especial da raça: Bullmastiff

Olá hoje o especial da raça é sem vídeo, mas escolhi uma raça e tanto: O Bullmastiff. Você conhece?? Já ouviu falar??

Então essa é uma raça um tanto quanto rara aqui no Brasil. Esse cão foi desenvolvido na Inglaterra, a partir de cruzas de Mastiff Inglês e o antigo Bulldogue. O Bullmastiff é um cão de guarda. É muito silencioso, que foi considerado a principal característica para a eficácia de sua função.

 

 

Apesar da aparência o Bullmastiff é um cão dócil, o que não impede sua principal função que é guarda. É um cão grande, chegando a pesar 60Kg. Precisa de companhia, não suporta ficar por longo tempo sozinho.

Podem ser excelentes companhias para crianças, uma vez que são muito resistentes e aguentam bastante bem mesmo as brincadeiras mais abrutalhadas das crianças. Apesar disso, deve-se tomar muito cuidado porque apesar de serem extremamente tolerantes, são cães pesados e podem machucar sem querer durante uma brincadeira mais forte.

 

Os filhotinhos são muito curiosos e destruidores. Comem tudo que vêem. Além disso, eles tem amadurecimento tardio. A troca de dentes é um pouco mais demorada, inclusive.

Marília Dog Show

Olá

Hoje o post é sobre o Marília Dog Show.

O Evento foi realizado hoje mesmo, dia 08/09/12, na Universidade de Marília-UNIMAR.

O ingresso  para o envento foi um KG de ração para cães ou gatos, que foram todos doados para um ONG que defende os animais na cidade, a OngAnima. Por falar na ONG, houve um feira de artesanato com vários tipos de coisas em prol dos animais abandonados.

Bom, no evento participaram várias raças de cães, já que era uma Exposição aberta para todas as raças. Confiram algumas fotos do evento:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Blog Diferente

Oi pessoal, tudo bom??

 

Então, o post de hoje é diferente… hahahaha

É especialmente pra vocês que me acompanham nesse blog há um tempo e às vezes que apareço em vídeos vocês me perguntam coisas tipo: minha maquiagem, meu esmalte, o que fiz no meu cabelo, qual a raça das meninas ( Demi e Zahra), onde eu comprei e tals…..

Bom, eu resolvi então, fazer um blog especialmente pra isso, pra coisas pessoais e mais do dia-a-dia.
Então por isso, o post de hoje é exatamente pra convidar a vocês a conhecerem esse blog!

O link é: http://www.falavida.wordpress.com

Espero que gostem! 🙂

Atenção Marília e região: Convite pra vocês!

Perguntas frequentes no IBAMA

Fauna

Dúvidas e Perguntas Frequentes sobre Fauna

Aqui você poderá esclarecer suas principais dúvidas com relação a animais silvestres e outros. Caso tenha outras dúvidas específicas, envie um e-mail para a Coordenação de Proteção de Espécies de Fauna e em breve ela estará sendo analisada e esclarecida.

1) Qual a diferença entre um animal silvestre, um animal exótico, um animal doméstico?

I – Animal Silvestre: são aqueles pertencentes às espécies nativas, migratórias e quaisquer outras, aquáticas ou terrestres, que tenham a sua vida ou parte dela ocorrendo naturalmente dentro dos limites do Território Brasileiro e suas águas juridicionais.

Exemplos:, mico, morcego, quati, onça, tamanduá, ema, papagaio, arara, canário-da-terra, tico-tico, galo-da-campina, teiú, jibóia, jacaré, jabuti, tartaruga-da-amazônia, abelha sem ferrão, vespa, borboleta, aranha e outros cujo acesso, uso e comércio é controlado pelo IBAMA.

II – Animal exótico: são aqueles cuja a distribuição geográfica não inclui o Território Brasileiro. As espécies ou subespécies introduzidas pelo homem, inclusive domésticas, em estado selvagem, também são consideradas exóticas. Outras espécies consideradas exóticas são aquelas que tenham sido introduzidas fora das fronteiras brasileiras e suas águas juridicionais e que tenham entrado expontaneamente em Território Brasileiro.

Exemplos: leão, zebra, elefante, urso, ferret, lebre-européia, javali, crocodilo-do-nilo, naja, piton, esquilo-da-mongólia, tartatuga-japonesa, tartaruga-mordedora, tartaruga-tigre-d’água, cacatua, arara-da-patagônia, escorpião-do-Nilo, entre outros.

III – Animal doméstico: são aqueles animais que através de processos tradicionais e sistematizados de manejo e melhoramento zootécnico tornaram-se domésticas, possuindo características biológicas e comportamentais em estreita dependência do homem, podendo inclusive apresentar aparência diferente da espécie silvestre que os originou.

Exemplos: gato, cachorro, cavalo, vaca, búfalo, porco, galinha, pato, marreco, peru, avestruz, codorna-chinesa, perdiz-chucar, canário-belga, periquito-australiano, abelha-européia, escargot, manon, mandarim, agapornis, entre outros.

Poderão ser controlados pelo IBAMA, caso seja verificado que podem causar danos à fauna silvestre e aos ecossistemas, quando em vida livre. O controle se dará por meio das Secretarias e Delegacias vinculados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e Gerências de Zoonoses, vinculadas ao Ministério da Saúde ou às Secretarias Estaduais da Saúde.

2) Manter um animal silvestre em cativeiro é crime?

Depende da origem do animal. Se for um animal com origem legal, isto é, adquirido de criadouro comercial ou comerciante devidamente registrado no IBAMA não é crime. Considera-se crime se a origem do animal não puder ser comprovada, sobretudo se for um animal adquirido de traficantes ou contrabandistas, em estradas, depósitos, feitas livres, através de encomendas ou similares.

A Lei de Crimes Ambientais considera crime contra a fauna a manutenção de animais silvestres em cativeiro sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente. No caso específico de fauna silvestre entende-se como autoridade competente o IBAMA.

A manutenção de animais silvestres em cativeiro também é considerada crime se a origem dos bichos não estiver devidamente documentada através de nota fiscal emitida pelo comerciante ou pelo criadouro que tem autorização do IBAMA para reproduzi-los em cativeiro. Nessa nota fiscal deve constar o nome cientifico e popular do bicho, o tipo e número de identificação individual do espécime (animal) que poderá ser uma anilha fechada e/ou um micro-chip.

3) Eu posso legalizar um animal silvestre?

Legalizar é uma palavra complicada. Legalizar significa tornar legal aquilo que não é. O IBAMA não legaliza ou regulariza a posse de animais sem origem conhecida e ou que tenha sido adquirido em desacordo do que foi estabelecido pela Lei nº 5197/67Lei 9605/98 e Decreto 3179/99.

Quem tem um animal silvestre em cativeiro deve primeiramente cuidar bem desse animal, fornecendo a ele alimento e acomodação adequados e sobretudo não adquirir outro, sem a devida permissão, autorização ou licença do IBAMA.

4) Como eu posso conseguir um animal silvestre legalmente?

Adquirindo o animal de origem legal, ou seja, procedente de criadouros comerciais devidamente registrados junto ao Ibama. A decisão em possuir em casa um animal silvestre deve levar em conta a responsabilidade no correto trato do animal, sobretudo oferecendo alimentação adequada, água de boa qualidade, cuidados veterinários e sanitários, abrigo e respeito a individualidade e as características da espécie. O mesmo vale para outros animais, sejam domésticos ou exóticos. O abandono de animais pelo homem tem causado muitos prejuízos à agricultura e à saúde publica, com grande ônus para o Estado.
Você deve adquirir animais silvestres somente após ter se certificado que eles são procedentes de criadouros comerciais devidamente autorizados pelo IBAMA. Quem está vendendo deve provar isso e fornecer a Nota Fiscal com os dados que foram citados na pergunta dois.

5) O que fazer quando encontrar alguém vendendo um animal silvestre?

Primeiro, não comprar, depois denunciar às autoridades. Se for em feira livre ou deposito de tráfico, denunciar e fornecer o maior número de informações possíveis. Os dados do denunciante sempre serão preservados. Deve-se passar as informações com maior clareza possível, como o local, data, hora, circunstância etc. Se for na beira da estrada, não comprar e ainda repreender o vendedor dizendo que isso é ilegal e que se ele for flagrado pode, além de perder o animal, sofrer as sanções legais.
O IBAMA tem uma Acordo de Cooperação com a RENCTAS-Rede Nacional contra o Tráfico de Animais Silvestres que possui uma página específica na internet sobre o tráfico de animais silvestres (www.renctas.org.br).

6) Qual o risco de manter um animal silvestre em cativeiro/casa?

Todo animal, independente de ser silvestre ou doméstico, pode ser portador de doenças transmissíveis ao homem, conhecidas como zoonoses ou antropozoonoses. Alem de ser potencialmente defensivo, ou seja, pode morder, arranhar, picar ou bicar, quando provocado. O ideal é que o animal seja respeitado em suas características físicas e comportamentais, esteja sob a supervisão de um médico veterinário e que as pessoas estejam conscientes da existência dos riscos físicos e doenças, sua via de transmissão e contágio.

7) Qualquer pessoa pode obter uma licença de coleta de animais ou plantas silvestres?

Não. A licença para coleta de material da nossa fauna e flora, destinado a fins científicos ou didáticos, poderá ser concedida somente a cientistas e profissionais devidamente qualificados, pertencentes a instituições brasileiras públicas e privadas credenciadas ou por elas indicadas.

8) Como posso obter uma licença de coleta de material biológico?

A licença para coleta de material da nossa fauna e flora destinado a fins científicos ou didáticos é concedida de acordo com a Portaria n.º 332/90.

Os pedidos para a concessão da licença devem ser formalizados e protocolados no IBAMA com antecedência mínima de 60 dias do início dos trabalhos e devem acompanhados de:

I) Nome, endereço e qualificação do interessado;

II) Nome da instituição a que pertence e cargo que ocupa;

III) Declaração da instituição indicando o interessado, no caso deste não manter vínculo com ela e justificando a solicitação na licença, com base no projeto a ser desenvolvido; IV) Curriculum vitae de todos os técnicos envolvidos no projeto;

V) Descrição das atividades que pretende desenvolver;

VI) Projeto de pesquisa a ser desenvolvido, contendo, finalidade do projeto, descrição das atividades, indicação dos grupos zoológicos e do número de espécimes que pretende coletar, o destino previsto do material (em caso de sobra de material, também indicar destino), metodologia de coleta ou captura, indicação das áreas e épocas escolhidas para a coleta ou captura; indicação do destino previsto para os resultados obtidos;

VII) Declaração da instituição que receberá o material dando ciência da incorporação desse material ao seu acervo e atestando condições de bem acomodá-lo.

A renovação da licença, bem como a concessão de novas licenças, fica condicionada a apresentação de relatórios, que também devem ser encaminhados com antecedência mínima de 60 dias.

No caso do material zoológico coletado necessitar manutenção em cativeiro, as disposições da Portaria n.º 016/94 para registro de criadouros com finalidade científicas deverão ser cumpridas.

FONTE: http://www.ibama.gov.br/fauna/animais.htm

Conheça a Cacatua

Olá pessoal

Hoje venho falar sobre a cacatua. Esse é um animal que muitos nunca viram pessoalmente (inclusive eu), somente em filmes e documentários. Mas eu adimiro os psitacídeos ( aves com o bico arredondado, como periquito, papagaio, arara, etc) e a cacatua é uma ave que sempre quis conhecer, pois acho lindíssimo e muito inteligente também.

Bom, inteligente sim, esses animais podem até ser comparados a uma criança de 5 anos pela inteligencia e capacidade de aprender palavras. Bom, essa inteligencia os levam a ficarem barulhentos pois percebem que você dá atenção quando fazem barulho, especialmente na hora da comida.

A aparência é a seguinte: o porte varia de médio a grande. O corpo é coberto por penas brancas e o que mais chama atenção nesse animal é a enorme crista amarela na cabeça. O bico é preto e grande.

As cacatuas são extremamente dóceis e carentes. Exigem muita atenção e carinho de seus donos. Elas são tão apegadas no dono que o ideal é ter uma cacatua, não um casal, pois elas são mais independentes quando o assunto é um companheiro semelhante.Pessoas que possuem maior disponibilidade de tempo para dedicar a essa ave, mantendo um relacionamento com base na confiança e respeito mútuos, poderão na maioria das vezes, manter até mesmo um casal como excelente companhia. Uma ave sozinha tende a ser mais carente e com isso, mais dócil com seu dono.